Blog Notícias

16 filmes e livros sobre migração

dez 17, 2018 ittc

Desde 2000, por determinação da Organização das Nações Unidas, 18 de dezembro é celebrado como o Dia Internacional da Pessoa Imigrante. Por isso, separamos 16 filmes e livros para pensar as questões relacionadas à migração.

Filmes

Fogo no Mar (2016) – Gianfranco Rosi

Vencedor do Urso de Ouro de Melhor Filme do Festival de Berlim em 2016 e indicado a vários outros prêmios, o documentário Fogo no Mar retrata o dia a dia da ilha de Lampedusa, no sul da Itália. A região costeira ficou em evidência nos últimos anos após se tornar porto de chegada de milhares de refugiadas da África e do Oriente Médio.

O longa foi fruto de uma imersão de um ano de Rosi em Lampedusa. O diretor aborda não apenas as dificuldades das pessoas estrangeiras, que se deslocam para o continente europeu em busca de um recomeço, mas também o cotidiano de habitantes da ilha, emocionalmente afetados e afetadas pela chegada desse contingente de pessoas em condições extremamente precárias.

Uma Boa Mentira (2014) – Philippe Falardeau

Entre 1983 e 2005, o Sudão viveu uma violenta guerra civil, que resultou em aproximadamente 2 milhões de mortes e 4 milhões de pessoas refugiadas. No longa, os jovens Mamere, Theo e Jeremiah são forçados a sair de suas aldeias, no sul do país, e fugir para um campo de refugiados no Quênia. Anos depois, os três têm a oportunidade de mudar para os Estados Unidos e buscar uma vida melhor. Eles são acolhidos no Kansas por uma assistente social (Reese Witherspoon), uma mulher solteira e pragmática, uma realidade muito estranha para eles. Com o desenvolvimento do drama, ela e os três passam a se conhecer melhor, começam uma amizade e se ajudam a entender novas perspectivas.

Um grande mérito do drama é que os atores que interpretam os três jovens refugiados (Emmanuel Jal, Arnold Oceng, Ger Duany e Kuoth Wiel) são, de fato, sudaneses e viveram momentos de guerra e tragédia assim como seus personagens.

Bem Vindo (2009) – Philippe Lioret

Bilal (Firat Ayverdi) é um jovem curdo de 17 anos que sai do Iraque em direção à Inglaterra para encontrar sua namorada, recém chegada ao país e cujo pai tem planos de casá-la com outro rapaz. Quando Bilal chega à cidade portuária de Calais, na França, precisa encontrar uma forma de atravessar o Canal da Mancha e chegar nas terras inglesas. Ele, então, decide fazer a jornada a nado. Para isso, conta com a ajuda de Simon (Vincent Lindon), um ranzinza instrutor de natação em processo de divórcio. Para impressionar a esposa e na esperança de salvar seu casamento, Simon arrisca tudo para auxiliar o jovem.

Coisas Sujas e Belas (2002) -Stephen Frears

Okwe (Chiwetel Ejiofor) é um homem nigeriano residente na Inglaterra de maneira ilegal. Durante o dia é motorista de táxi e de noite é recepcionista em um pequeno hotel londrino. Um dia ele descobre que o local é um ponto de tráfico de órgãos, onde são feitas cirurgias e acordos ilegais. Pensa em denunciar a rede de contrabando para a polícia, mas volta atrás quando pensa no seu status de imigração; a única pessoa em que pode confiar é a camareira turca Senay (Audrey Tatou). O filme retrata, a partir disso, a depravação do submundo de uma grande capital, onde imigrantes ilegais são obrigados a ficar em silêncio ou compactuar com situações criminosas e desumanas.

Um Conto Chinês (2011) – Sebastián Borensztein

Roberto (Ricardo Darín) é um homem mal-humorado e metódico, dono de uma pequena loja de ferragens. Um dia cruza seu caminho o chinês Jun (Ignacio Huang), que não fala nada de espanhol e precisa encontrar o seu tio na Argentina, mas acabou de ser assaltado e não tem onde ficar.  Roberto decide ajudá-lo, transformando sua rotina por completo.

Entre os Muros da Escola (2008) – Laurent Cantet

François Marin (François Bégaudeau) trabalha como professor de francês em uma escola na periferia de Paris, em um bairro marcado por conflitos culturais e étnicos que muitas vezes deságuam em violência. O educador, ao iniciar um ano novo letivo, alimenta o objetivo de introjetar o conceito de “ética” em seus alunos e alunas, que resistem aos seus métodos de ensino.

Gran Torino (2008) – Clint Eastwood

Walt Kowalski (Clint Eastwood) é um veterano da Guerra da Coreia. Aposentado, passa o dia à base de cerveja e consertos em casa, sendo grosseiro e preconceituoso com a vizinhança latina, negra e asiática. A sua vida muda quando defende Thao (Bee Vang), um adolescente hmong (etnia chinesa), de uma ação de gangue. A partir disso, uma amizade inesperada começa entre os dois, desafiando algumas visões de mundo que Walt cultivava.

Um dia sem Mexicanos (2004) – Sérgio Arau

De um dia para o outro, todas as pessoas mexicanas desaparecem da Califórnia, não sobrando ninguém para realizar os trabalhos mais pesados e primordiais e, consequentemente, isso causa uma grande crise entre americanos e americanas. As autoridades começam uma corrida para descobrir a causa dos desaparecimentos, e a população civil começa a se questionar sobre a importância das pessoas hispânicas para o funcionamento do país.

Biutiful (2010) – Alejandro González Iñárritu

Uxbal (Javier Bardem) faz parte de uma cadeia criminosa que faz uso do trabalho de pessoas imigrantes ilegais chinesas e africanas, cuja mão de obra é mais barata devido à precariedade de suas condições. Além disso, Uxbal tem o dom de falar com mortos e faz uso disso para extorquir dinheiro de pessoas. Quando descobre que está com câncer terminal e tem poucos meses de vida, decide dar novos rumos para a sua vida.

Livros

Americanah, de Chimamamnda Ngozie Adichie.
Americanah conta a história da jovem Ifemelu. Nascida na Nigéria, Ifemelu se muda para os Estados Unidos quando está na faculdade, numa época em que seu país passa por uma ditadura militar. Após a mudança, ela tem que lidar não apenas com o fato de estar longe de casa, mas também de ser uma imigrante negra em uma sociedade racista. Continue lendo nossa resenha!

Precisamos de Novos Nomes, de NoViolet Bulawayo
Darling é uma menina que mora no bairro do Paraíso, na periferia do Zimbábue, que no período retratado vivia sob um regime autoritário e em forte crise econômica. Pelo seu olhar inocente, a garota narra o cotidiano do lugar, transparecendo as mazelas impostas àquela população e, ao mesmo tempo, a grande riqueza cultural do país. Entretanto, Darling muda-se para os EUA com a tia, e lá se depara com novas dificuldades, como o preconceito de colegas, a confusão para entender aquela realidade, e a saudade da família, dos amigos e das amigas.

Garota, Traduzida, de Jean Kwok
Kimberly Chang e sua mãe, migrantes de Hong Kong, mudam-se para o Brooklyn, um dos bairros de Nova Iorque. E lá a menina de 11 anos passa a enfrentar uma dupla jornada, indo à escola durante o dia e trabalhando com a mãe numa fábrica de tecidos à noite. Mora em um apartamento sujo e infestado de ratos, e observa sua mãe ficar com a saúde cada vez mais debilitada. Apesar de viver cercada de privações e desconhecer a língua inglesa, Kimberly mostra-se uma aluna dedicada e uma pessoa criativa e amorosa. O livro é inspirado na vida da autora, Jean Kwok, que saiu muito nova de Hong Kong para viver nos Estados Unidos, mas fala também sobre a trajetória de milhares de imigrantes que sonham em conquistar um futuro melhor nos países mais desenvolvidos.

Histórias Migrantes, Caminhos Cruzados, de Marina Luiza Tucci e Sedi Hirano
O livro é uma reunião de artigos de pesquisadores brasileiros e estrangeiros sobre os fenômenos de migração passados e contemporâneos. A leitura instiga o leitor a mergulhar na realidade de milhões de pessoas, que se vêem forçadas ou compelidas a deixar seu lares, sua família, sua cultura e sua língua.

Também os brancos sabem dançar, de Kalaf Epalanga
Um músico e escritor angolano, refugiado em Portugal por conta das guerras em seu país, chega à fronteira entre a Suécia e a Noruega junto com sua banda. Eles estão marcados para se apresentar em um festival de música em Oslo Entretanto, não tem um passaporte válido e é detido por tentativa de migração ilegal. Na delegacia, ansioso para ser liberado logo, se questiona como fazer aqueles policiais acreditarem que ele é apenas um pacato artista angolano querendo chegar a um concerto.

Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino
O livro Cidades Invisíveis é uma trama enquadrada no período do Realismo Mágico. A história se passa no século XIII e mostra as descrições das cidades pelas quais passou o viajante Marco Polo, as quais foram oferecidas ao imperador Kublai Khan do Império Mongol. O líder, percebendo ser impossível conhecer suas terras por completo, passa a se basear nos relatos do viajante. E então Marco Polo passa a cumprir funções diplomáticas na corte, onde permanece por 17 anos.

Estranhos à nossa porta, de Zygmunt Bauman
A obra é uma análise cuidadosa das questões migratórias da contemporaneidade, especialmente em relação ao continente europeu. Bauman, tido como um dos principais pensadores atuais, aborda neste livro as origens, os desenhos e as consequências de um “pânico moral” de cidadãos e cidadãs do mundo todo que acreditam que as pessoas migrantes representam uma grande ameaça.