Artigos do ITTC Blog

ITTC fala sobre encarceramento feminino em evento “Nós Outras – nenhuma fica para trás”

maio 04, 2016 ittc

13076726_1216562118355710_3913915462166231828_n

O Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, em parceria com a Anistia Internacional, a Iniciativa Negra por uma Nova Política de Drogas e o Matilha Cultural, integra a programação “Nós Outras – Nenhuma Fica para trás”.

O evento acontece no marco dos 10 anos dos Crimes de Maio, e a proposta é dar visibilidade a diversas formas de violência de gênero praticadas pelo Estado brasileiro, seja na forma da violência policial ou através do super encarceramento de mulheres. As atividades serão realizadas nos dias 04, 06 e 07 de maio na Matilha Cultural.

A roda de conversa “Mulheres em luto: as Mães de Maio e a violência policial”, abrirá a programação com mesa composta por Debora Maria (Mães de Maio/SP), Irone Santiago (Rede de Mães Contra a Violência/RJ) e Renata Neder (Anistia Internacional). Essa atividade integra a campanha Jovem “Negro Vivo” da Anistia Internacional.

Já na sexta é a vez do ITTC abrir os trabalhos promovendo a mesa “Encarceramento Feminino”, com a presença de Lucia Sestokas (ITTC), Quéli Nacif (Rede Amparar), Natália Padovani (Doutora em Antropologia Social pela UNICAMP), Luciana Zaffalon (IBCCRIM e PBPD). Nessa apresentação será abordada a questão do crescente encarceramento feminino no último período, principalmente por conta do tráfico de drogas, atualmente o maior motivo do encarceramento feminino. Segundo Lucia Sestokas, além de o cárcere em si representar uma violação, o encarceramento de mulheres apresenta especificidades no desrespeito a direitos de mulheres.

Logo em seguida a Iniciativa Negra Por uma Nova Política de Drogas (INNPD) encerrará as discussões com a mesa “Guerra às Drogas: uma guerra contra mulheres pretas”, e contará com a participação de Nathália Oliveira (INNPD) e Dina Alves (Mestra em Ciências Sociais – PUC/SP Advogada), Juliana Borges (Feminista Negra) e Flávia Oliveira (UEE-SP).

Nessa oportunidade a INNPD também abrirá espaço para apresentar o trabalho que já vem desenvolvendo nesse tema. De acordo com a coordenadora Nathália Oliveira “O tema das mulheres negras foi escolhido propositalmente para marcar o lançamento da INNPD em São Paulo, por conta da centralidade de nossas ações na mudança da atual Lei de Drogas, que atualmente é equipara o tráfico de drogas a crime hediondo e é responsável por milhares de prisões por crimes cometidos sem nenhuma violência.”

Além dos debates, o último dia de evento contará com uma extensa programação cultural, com a realização de bazar e oficinas. Um dos diferenciais do evento é que ele é todo desenvolvido e operado por mulheres e, além disso, traz múltiplos olhares sobre opressão de gênero em um único espaço. O evento é gratuito e aberto ao público em geral, especialmente a mulheres.