Capa do documentário Deep web, foto de Ross Ulbricht com uma tarja preta nos olhos e o título do documentário dentro da tarja
Blog Notícias

O que o caso de Ross Ulbricht nos ensina sobre a guerra às drogas?

dez 07, 2017 ittc

Documentário Deep web acompanha o julgamento e a prisão de Ross Ulbricht, criador de mercado de drogas on-line e levanta discussão sobre a violência e os impactos da guerra às drogas

“Na medida em que a década de 2000 avança, continuo a pensar nisso do ponto de vista da violência e começo a me dar conta de que nossa política de proibição de drogas prejudica a segurança pública”. A declaração de Neill Franklin, diretor executivo do Law Enforcement (aplicação da lei, em português) da polícia norte-americana, compõe o documentário Deep Web.

Os comentários sobre a violência da guerra às drogas também protagonizaram sua fala durante o período em que esteve no Brasil, participando da Conferência Internacional “Fronteiras raciais do genocídio e a política de drogas”. Neill contou que o exercício da profissão como policial o colocou diante de diversos casos de prisão relacionados ao tráfico de drogas, principalmente nas ruas. Mas foi fora das ruas que se deu o caso de Ross Ulbricht, contado em Deep web.

O longa-metragem, dirigido por Alex Winter e narrado por Keanu Reeves, traz o caso emblemático de Ross Ulbricht, julgado e condenado à prisão perpétua pela criação do site Silk Road. Seu caso levanta questões sobre os limites do Estado em investigações criminais, presunção da inocência, privacidade on-line, experiência de familiares visitando a pessoa presa e a guerra às drogas.

Leia também “Guerra às drogas é tema de encontro com agentes penitenciários e ativistas internacionais”

O site hospedado na deep web gerou a movimentação de órgãos federais para a prisão do criador. Ao longo do documentário, a pessoa que está assistindo acompanha o processo de investigação, julgamento e bastidores da prisão de Ross Ulbricht.

Por conta dos lucros levantados com o mercado de trocas anônimas e principalmente pela venda de drogas, o caso ganhou grande repercussão midiática. Assim, a narrativa traça os impactos da política de drogas sob diversos eixos: a narrativa dada pela imprensa, a violência policial e o mercado econômico que se estende nesse meio.

“O FBI, o governo federal vão chegar e fechar esses sites. Mas sabe de uma coisa? Outros novos vão abrir. Porque há dinheiro demais para ser ganho”, comenta Neill Franklin.

Para os pais de Ross, a presença da mídia teve impactos negativos no andamento do processo. “Sempre soube que a imprensa não cobre toda a história, que é parcial” diz Kirk Ulbricht, pai de Ross. Lyn Ulbricht, mãe de Ross, relata que a experiência de ver um ente querido na prisão é angustiante e quando há toda a cobertura da mídia colocando-o como culpado, isso é potencializado.

“Eu também amadureci muito esse ano. Amadureci no que penso sobre a ética, a política. Quando tornei-me mais consciente do que a guerra às drogas está fazendo, a tragédia. Tanta gente foi vitimizada por essa guerra às drogas. É um caos, e uma história que precisa ser contada”, Kirk Ulbricht.

O caso criou um novo paradigma tanto em questões relacionadas à política de drogas quanto no modo como a justiça criminal opera em meios como a internet. O perfil de Ross não reflete o de pessoas atingidas pelas ações e violência da guerra às drogas: ele é um garoto branco de classe média. Ainda assim, há a reflexão sobre a eficiência e os propósitos da política de drogas vigente nos EUA e que foi importada pelo Brasil. Quando os mecanismos criados para impedir o avanço do comércio de drogas, visando apenas coibir ou controlar essa esfera econômica, são baseados na força e no poder de controle do Estado, quem de fato é atingido?

“A principal razão pela qual o DPR [Dread Pirate Roberts*] criou o mercado, assumindo o risco, foi porque era necessário uma redução da violência na compra de drogas. Isso aconteceu por causa da guerra às drogas. A violência não parte somente das pessoas comprando e vendendo. A violência vem da polícia e dos agentes federais que instauram ações penais nessa guerra. A guerra às drogas se baseia no medo e na incerteza”.

Assim como Neil Franklin declarou, a política de drogas, na verdade, pouco impacta a segurança pública, pelo contrário. Cotidianamente, o ITTC lida com um cenário, no Brasil, em que pessoas jovens, pobres e negras são violentamente atingidas pela guerra às drogas. O que é comprovado não só pelos dados, mas também pelas trajetórias omitidas e invisibilizadas pelo Estado e pela imprensa, que precisam ser debatidas cada vez mais para que seja possível repensar a política de drogas e reduzir o encarceramento em massa.

*Dread Pirate Roberts: pseudônimo utilizado pelos administradores da página Silk Road, o nome faz referência ao filme A princesa prometida, no qual o nome Dread Pirate Roberts é atribuído a quem estiver usando a máscara presente na narrativa.

Por Letícia Vieira


Foto: Divulgação