Blog Destaques Notícias

Presidente do ITTC recebe o 38º Prêmio de Direitos Humanos Franz de Castro Holzwarth

dez 21, 2022 ittc
Atrás da mesa da OAB São Paulo, 20 pessoas, entre integrantes e ex-integrantes do ITTC sorriem em volta da homenageada Michael Nolan.
Da esquerda para direita: Luísa Luz, Lúcia Sestokas, Laura Luz, Viviane Balbuglio, Raquel da Cruz Lima, Helena Sartori, Ana Luiza Uwai, Caroline Hilgert, Fernanda Balera, Michael Nolan, Irene Maestro, Lais Del Vecchio, Cátia Kim, Nicoly Pereira, Eliza Donda, Alderon Costa, Stella Chagas, Denise Blanes, Aline Novakoski e Maria das Dores Pereira (Foto: Isadora Borian)

No dia 7 de dezembro, aconteceu a cerimônia do 38º Prêmio de Direitos Humanos Franz de Castro Holzwarth que, em nome da Comissão Permanente de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil seção São Paulo (OAB SP), concedeu um prêmio à dra. Michael Mary Nolan pelo conjunto de seu trabalho.

Um homem branco de terno cinza e óculos e uma mulher asiática de vestido estampado, cabelos castanhos lisos sobre os ombros entregam um prêmio a uma senhora branca de cabelos grisalhos, blusa azul estampada sentada em uma cadeira. Atrás deles, três pessoas na mesa de honra aplaudem
Alexandre de Sá Domingues e Priscila Beltrame entregam o prêmio à Dra. Michael Nolan  (Foto: Aline Novakoski)

Michael é presidente do Instituto Terra, Trabalho e Cidadania (ITTC) e advogada especializada na área de direitos humanos, principalmente no trabalho com mulheres estrangeiras em conflito com a lei, comunidades indígenas e quilombolas. Integra a Congregação das Irmãs de Santa Cruz (IISC), é assessora jurídica do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da Equipe de Articulação e Assessoria às Comunidades Negras (EAACONE). Em 2004, recebeu doutorado honorário de Saint Mary’s College (Notre Dame, Indiana) por seu trabalho em direitos humanos.

Uma senhora branca de cabelos grisalhos e óculos segurando um microfone discursa. Atrás dela, quatro pessoas sentadas numa mesa e três telões transmitem o evento.
Dra. Michael Nolan discursa em frente à mesa de honra da OAB São Paulo após o recebimento do prêmio (Foto: Aline Novakoski)

Criada em 1982, a honraria homenageia anualmente aqueles que atuam na defesa da dignidade dos cidadãos, à luz de valores voltados aos direitos humanos, a exemplo do advogado Franz de Castro Holzwarth, que também ficou conhecido como apóstolo dos encarcerados.

Imagem de uma mesa com nove pessoas sentadas e uma pessoa no púlpito falando com o microfone. A frente várias cadeiras com pessoas sentadas na plateia.
Da esquerda para direita: Carla Mustafa, Cláudia Aratangy, Cláudio Cardoso, Alexandre de Sá Domingues, Patricia Vanzolini, Priscila Beltrame, Alexandra Rodrigues, Rildo Marques de Oliveira e Flávio Bastos (Foto: Aline Novakoski)

Na mesa de honra estavam Patricia Vanzolini, presidente da OAB SP; Alexandre de Sá Domingues, tesoureiro da OAB SP; Priscila Beltrame, conselheira secional e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB SP; Cláudio Cardoso, conselheiro secional da OAB SP e coordenador do núcleo de expediente; Alexandra Rodrigues, secretária geral do núcleo de expediente; Cláudia Aratangy, secretária executiva da Comissão de Direitos Humanos; Rildo Marques de Oliveira, coordenador do núcleo de movimentos sociais e população de rua; Carla Mustafa, coordenadora do núcleo de direitos dos migrantes e refugiados; Flávio Bastos, coordenador do núcleo de direitos indígenas e dos povos quilombolas.

Um grupo de pessoas está em uma apresentação de canto com as mãos levantadas com chocalhos e uma delas, uma mulher vestida de vermelho está com o microfone nas mãos. Todos estão com em frente à plenária da OAB SP.
Apresentação do Coral Cênico Cidadãos Cantantes (Foto: Aline Novakoski)

O evento foi realizado de forma presencial na Sede Institucional da OAB/SP e contou com diversas falas e apresentações artísticas em homenagem à dra. Michael: poema de Leonila Priscila Santos, representante do Quilombo Abobral Margem Esquerda e parte da coordenação da Equipe de Articulação e Assessoria às Comunidades Negras (EAACONE); apresentação musical de canto do povo Pankararu; homenagem da advogada popular do Quilombo Porto Velho, Rafaela Miranda Santos; fala de José Rodrigues da Silva do Quilombo de Ivaporunduva e da coordenação da EAACONE; homenagem do fundador da EAACONE, Benedito Alves da Silva, o Ditão, também do Quilombo de Ivaporunduva; fala de Maria Elizabeth Armelin da Guia Rosa, da Associação das Mulheres Unidas por uma Vida Melhor; homenagem da Irmã Lúcia Gianesini, vice-presedente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI); e, por fim, uma apresentação do Coral Cênico Cidadãos Cantantes.

Imagem de Leonila Priscila Santos, uma mulher preta com cabelos grisalhos, camiseta branca e óculos azul lendo uma folha com o microfone na mão. Ela está no púlpito, ao lado da mesa de honra da OAB SP e aparece também no telão
Leonila Priscila Santos, representante do Quilombo Abobral Margem Esquerda e parte da coordenação da EAACONE lê um poema em homenagem à Dra. Michael (Foto: Aline Novakoski)

Além dessas, falas emocionadas foram dirigidas aos outros dois homenageados da noite, o jornalista Dom Philips e o indigenista Bruno Pereira, mortos em junho de 2022 em meio a uma viagem de reportagem à Amazônia.

Para ver o evento na íntegra, acesse o YouTube da OAB São Paulo.